Florence: Quem é Essa Mulher (2016)

A diva do grito ganha voz novamente, dessa vez nos cinemas com atuação magistral de Maryl Streep.

“Podem dizer que não sabia cantar, mas ninguém poderá dizer que não cantei”

A diva do grito ganha voz novamente, dessa vez nos cinemas com atuação magistral de Maryl Streep.

Florence Foster Jenkins foi uma cantora dos Estados Unidos dos anos 40, portanto da época da segunda guerra mundial. Tornou-se conhecida por ser completamente desafinada, sempre teve o sonho de ser cantora, fugiu de casa aos 17 anos para se dedicar a música, casou e se separou, ficou sem nada e voltou a morar com o pai, que só a aceitou se ela parasse de cantar, com 41 anos, após a morte de seu pai, herda a sua fortuna e volta a se dedicar ao canto.

O filme começa em 1944, ano derradeiro da vida de Florence, e muda alguns detalhes de sua história, para que pudessem funcionar melhor nos cinemas, como mostrar como Cosme McMoon foi contratado para ser pianista de Florence, fato que ocorreu em 1934.

O filme trata de forma bem-humorada da vida de Florence, lutando contra uma doença e dedicando-se a música.

Florence desde sempre apoia a cena musical de Nova York e até a patrocina, sempre presente nos eventos da cidade, dá festas e todos a adoram por seu poder e seu dinheiro, ela ama todo esse universo da música, e se agarra fortemente a ele, seu marido St Clair Bayfield (Hugh Grant) a apoia e faz de tudo para que ela possa realizar seus sonhos, sempre cuida para que ela esteja bem.

Cosme McMoon (Simon Helberg) que seria grande parceiro musical de Florence, mostrasse inseguro e não entende os elogios dirigidos a ela, mas não diz em momento nenhum isso diretamente, faz o seu trabalho e com isso acaba ganhando a grande amizade de Florence, sempre leal, mesmo temendo pelo pior e por não ser visto como um pianista sério, continua sempre ao lado dela.

Quando Florence decide se apresentar no Carnegie Hall tudo se complica, pois St Clair tem medo de como pode ser a recepção do público as músicas de Florence, e Cosme sente medo de falhar na apresentação no mais conceituado teatro dos anos 40. É muito fácil conseguir se identificar com os personagens e se prender a suas histórias, torcendo para que dê tudo certo, e que tudo fique bem.

Somos levados a um clima totalmente anos 40, que foi belamente criado para o filme, a fotografia ficou a cargo de Danny Cohen (A Garota Dinamarquesa, O Quarto de Jack, Os Miseráveis, O Discurso do Rei, Os Piratas do Rock) que fez um ótimo trabalho, fazendo toda a atmosfera do filme funcionar muito bem.

A direção é do premiado Stephen Frears (Philomena, A Rainha, Alta Fidelidade, Herói por Acidente), com roteiro de Nicholas Martin (Big Bad World) e trilha sonora do maestro, e veterano das trilhas sonoras, Alexandre Desplat (A Garota Dinamarquesa, A Loja Mágica de Brinquedos, Grande Hotel Budapeste, O Fantástico Sr. Raposo, Moonrise Kingdom, Harry Potter e as Relíquias da Morte: Parte 1 e 2). Tudo isso unido a produção dos veteranos Michael Kuhn (Quero Ser John Malkovich) e Tracey Seaward (Philomena) trazem ao cinema uma grande homenagem a uma grande mulher, que nunca desistiu de seus sonhos, mesmo que tudo estivesse contra ela, ela sonhou até o fim.

Um filme leve e divertido sobre uma pessoa que queria mudar o mundo com a arte, com a música, que até o fim manteve-se em pé, mesmo que tudo indicasse o lado oposto, vale a pena conhecer a história da Diva do Grito, todo o elenco possui uma ótima química e é magnifico ver Maryl Streep na tela encarnando Florence, tendo que desafinar e manter o sorriso, Simon Helberg entrega uma atuação magnifica e convincente, você o compreende facilmente e mesmo contido passa toda a emoção necessária ao papel.
Se ama música, filmes da era de ouro e boas comédias dramáticas, não deixe de ver esse encantador filme, e conhecer um pouco mais da grande diva do grito, que talvez não tenha mudado o mundo, mas ninguém pode dizer que ela não tentou.

Sinopse: Meryl Streep é Florence Foster na história real de uma rica herdeira novaiorquina que perseguiu seu sonho de se tornar uma grande cantora. Para ela sua voz era perfeita, mas para todos era hilariamente horrível. Seu companheiro, Bayfield (Hugh Grant), um aristocrata inglês, tenta proteger sua amada Florence longe da verdade, mas ele enfrentará o seu maior desafio quando Florence decide fazer uma apresentação no Carnegie Hall.

Ficha Técnica:
Florence: Quem é essa Mulher? (Florence Foster Jenkins)
Reino Unido| Comédia Romântica
Diretor: Stephen Frears
Elenco: Meryl Streep, Hugh Grant, Simon Helberg, Rebecca Ferguson, Nina Arianda
Distribuição: Imagem Filmes

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *